Exercício de fixação com tempo de dez minutos.

1. A URSS transformou-se, após 1945, numa das potências mundiais, tanto no campo econômico como técnico. Um dos melhores exemplos dessa transformação é o:

a) desenvolvimento da política espacial, representada pela 1a viagem em torno da Terra por Gagarin.

b) desenvolvimento da indústria cinematográfica e das teorias em torno da fusão nuclear.

c) desenvolvimento da indústria automobilística e o incremento do sistema industrial privado.

d) crescimento do mercado interno, com o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo agrícola e aumento de salários.

e) crescimento da produção agrícola em função do fim da intervenção do Estado no setor e de técnicas administrativas americanas.

 

2. Os recentes acordos para a diminuição das armas estratégicas de longo alcance afastam as campanhas histéricas e o perigo de um confronto bélico catastrófico. Quando se analisam as origens da denominada Guerra Fria, percebe-se que ela se relacionou inicialmente com:

a) a política do desarmamento nuclear e o enfrentamento militar direto entre as duas superpotências.

b) a instalação de rampas de lançamento e a retirada dos mísseis soviéticos de Cuba.

c) o fim da Guerra do Vietnã e o apoio norte-americano aos “contras” da Nicarágua sandinista.

d) a ascensão de Mikhail Gorbatchev na URSS e sua política de Glasnost.

e) o envolvimento dos governos inglês e norte-americano na elaboração de um discurso responsabilizando o comunismo como terrível ameaça ao mundo livre.

 

3. “É lógico que os EUA devem fazer o que lhes for possível para ajudar a promover o retorno ao poder econômico normal no mundo, sem o que não pode haver estabilidade política nem garantia de paz.”

(Plano Marshall 5. VI. 1947)

 

Esse plano

a) assegurava a penetração de capitais norte-americanos no continente europeu, sobretudo em sua parte oriental.

b) garantia, aos norte-americanos, o retorno a uma política isolacionista, voltada unicamente para os seus interesses internos.

c) pretendia deter as ameaças soviéticas sobre os países do Oriente Médio, cuja produção de petróleo era vital para as economias ocidentais.

d) era um instrumento decisivo na luta contra o avanço do comunismo na Europa arrasada pelo pós-guerra.

e) representava uma tomada da tradicional política da “boa vizinhança” dos EUA em relação à América Latina.

 

4. Sobre a geopolítica na conjuntura imediatamente pós Segunda Guerra, pode-se afirmar que

a) as áreas que não se envolveram, diretamente, no conflito conseguiram alcançar um amplo desenvolvimento econômico baseado em uma política de exportação.

b) as diversas formas de dominação colonial e de exploração que caracterizavam, historicamente, as relações entre o centro e a periferia foram mantidas.

c) os países aliados estabeleceram uma política de arrasamento dos países vencidos inviabilizando o crescimento mundial durante décadas.

d) os países vencidos se agruparam formando o bloco dos não-alinhados viabilizando, assim, sua recuperação uma vez que não foram levados em consideração pelos vencedores.

 

5. A conquista da Ásia e da África, durante a segunda metade do século XIX, pela principais potências imperialistas objetivava

a) a busca de matérias primas, a aplicação de capitais excedentes e a procura de novos mercados para os manufaturados.

b) a implantação de regimes políticos favoráveis à independência das colônias africanas e asiáticas.

c) o impedimento da evasão em massa dos excedentes demográficos europeus para aqueles continentes.

d) a implantação da política econômica mercantilista, favorável à acumulação de capitais nas respectivas Metrópoles.

e) a necessidade de interação de novas culturas, a compensação da pobreza e a cooperação dos nativos.

 

6. A expansão colonialista europeia do século XIX foi um dos fatores que levaram:

a) à diminuição dos contingentes militares europeus.

b) à eliminação da liderança industrial da Inglaterra.

c) ao predomínio da prática mercantilista semelhante à do colonialismo do século XVI.

d) à implantação do regime de monopólio.

e) ao rompimento do equilíbrio europeu, dando origem à Primeira Guerra Mundial.

 

7. A Expansão Neocolonialista do século XIX foi acelerada essencialmente,

a) pela disputa de mercados consumidores para produtos industrializados e de investimentos de capitais em novos projetos, além da busca de matérias-primas.

b) pelo crescimento incontrolado da população europeia, gerando a necessidade de migração para a África e Ásia.

c) pela necessidade de irradiar a superioridade da cultura europeia pelo mundo.

d) pelo desenvolvimento do capitalismo comercial e das práticas do mercantilismo.

e) pela distribuição igualitária dos monopólios de capitais e pelo decréscimo da produção industrial.

 

8. A China desponta nos dias de hoje como uma das possíveis grandes potências do próximo século. Todavia, até meados do século XIX, ela era um país em grande parte isolado do restante do mundo e que, apesar de apresentar uma economia enfraquecida, resistia à voracidade dos interesses ocidentais. Naquela época os primeiros a quebrarem esse isolamento foram os ingleses

Assinale a ÚNICA alternativa que corresponde aos meios empregados pelos ingleses para impor à China o comércio e outras influências ocidentais:

a) a monopolização do comércio da região, pela Companhia das Índias Ocidentais;

b) a Guerra do Ópio, com ataques às cidades portuárias chinesas;

c) a assinatura de tratados de livre comercialização do chá chinês;

d) a Guerra dos Boers, levando ao extermínio os nativos da região;

e) a imposição à China de uma nova forma de governo com feições ocidentais.

 

9. O descobrimento do Brasil foi parte do plano imperial da Coroa Portuguesa, no século XV. Embora não houvesse interesse específico de expansão para o Ocidente,…

a) a posse de terras no Atlântico ocidental consolidava a hegemonia portuguesa neste Oceano.

b) o Brasil era uma alternativa mercantil ao comércio português no Oriente.

c) o desvio da esquadra de Cabral seguia a mesma inspiração de Colombo para chegar às Índias.

d) a procura de terras no Ocidente foi uma reação de Portugal ao Tratado de Tordesilhas, que o afastava da América.

e) essa descoberta foi mero acaso, provocado pelas intempéries que desviaram a esquadra da rota da Índia.

 

10. Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. A acreditar nos viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, há um decréscimo da população indígena, que se agrava nos séculos seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o citado decréscimo foram:

a) a captura e a venda do índio para o trabalho nas minas de prata do Potosi.

b) as guerras permanentes entre as tribos indígenas e entre índios e brancos.

c) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais, o espírito sanguinário, cruel e vingativo dos naturais.

d) as missões jesuíticas do vale amazônico e a exploração do trabalho indígena na extração da borracha.

e) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e a escravidão dos índios.

 

11. As razões do pioneirismo português na Expansão Marítima dos séculos XV e XVI foram:

a) a invasão da Península Ibérica pelos árabes e a conquista de Calicute pelos turcos.

b) a assinatura do Tratado de Tordesilhas por Portugal e pelos demais países europeus.

c) um Estado Liberal centralizado, voltado para a acumulação de novos mercados consumidores.

d) As guerras religiosas, a descentralização política do Estado e o fortalecimento dos laços servis.

e) uma monarquia centralizada, interessada no comércio de especiarias.

 

12. “Esta terra, Senhor, é muito chã e muito formosa. Nela não podemos saber se haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal; porém, a terra em si é de muitos bons ares (…) querendo aproveitar dar-se-á nela tudo (…)”. Esse trecho é parte da carta que Pero Vaz de Caminha escreveu, em 1500, ao rei de Portugal, com informações sobre o Brasil. Com base no texto, é correto afirmar:

a) Havia a intenção de colonizar imediatamente a terra, retirando os bens exportáveis para atender o mercado internacional.

b) Iniciava-se o processo de ocupação da terra, circunscrito aos limites do mercantilismo industrial e colonial.

c) Desde o princípio, os portugueses procuraram escravizar os povos indígenas a fim de encontrarem os metais preciosos.

d) Estava evidente o interesse em explorar a terra nos moldes do mercantilismo.

e) Era preponderante a intenção de estabelecer a agricultura com o trabalho livre e familiar no Brasil.

 

13. O lema “Ordem e Progresso” inscrito na bandeira do Brasil, associa-se aos:

a) monarquistas.

b) abolicionistas.

c) positivistas.

d) regressistas.

e) socialistas.

 

14. “Restauração e Antônio Conselheiro tornam-se sinônimos, pois ambos surgem como antípodas de republicanismo e jacobinismo. Os jornais são os maiores veículos desta propaganda imaginativa, de consequências trágicas”

(Edgar Carone. “A República Velha”.)

 

A citação relaciona-se a:

a) Monarquismo e Guerra de Canudos.

b) Federalismo e Revolução Farroupilha.

c) Revolução Federalista e Proclamação da República.

d) Deposição de D. Pedro II e Abolição.

e) Guerra do Paraguai e Questão Militar.

 

15. O estudo da Carta Outorgada de 1824, Ato Adicional de 1834 e Constituição Republicana de 1891 mostra, no Brasil, notável evolução política.

Assinale a alternativa correta:

a) O Ato Adicional de 1834 atribui às províncias a mesma autonomia estabelecida pela Constituição de 1891.

b) Enquanto a Carta Outorgada de 1824 inspirou-se nos Estados Unidos, a Constituição de 1891 baseou-se em modelo europeu.

c) A Carta Outorgada de 1824 estabelecia quatro poderes, reduzidos a três na Constituição de 1891, com a supressão do Poder Moderador.

d) A Religião Católica Apostólica Romana, oficial no Império, assim continuou na República, com base em artigo específico na Constituição de 1891.

e) O Ato Adicional de 1834 transformou a forma de Estado do Brasil de unitária em federativa.

 

Gabarito:  

 

Resposta da questão 1:
 [A]  

Resposta da questão 2:
 [E]  

Resposta da questão 3:
 [D]  

Resposta da questão 4:
 [B]  

Resposta da questão 5:
 [A]  

Resposta da questão 6:
 [E]  

Resposta da questão 7:
 [A]  

Resposta da questão 8:
 [B]  

Resposta da questão 9:
 [A]  

Resposta da questão 10:
 [E]  

Resposta da questão 11:
 [E]  

Resposta da questão 12:
 [D]  

Resposta da questão 13:
 [C]  

Resposta da questão 14:
 [A]  

Resposta da questão 15:
 [C]  

Anúncios

Exercícios República olicárquica com gabarito

1. O período de 1900 a 1930, identificado no processo histórico brasileiro como República Velha, teve por traço marcante:

a) o fortalecimento da burguesia mercantil, que se utilizou do Estado como instrumento coordenador do desenvolvimento.

b) a abertura para o capital estrangeiro, principal alavanca do rápido desenvolvimento da região amazônica.

c) a modificação da composição social dos grandes centros urbanos, com a transferência de mão de obra do Centro-Sul para áreas do Nordeste.

d) o pleno enquadramento do Brasil às exigências do capitalismo inglês, ao qual o país se mantinha cada vez mais atrelado.

e) o predomínio das oligarquias dos grandes Estados, que procuravam assegurar a supremacia do setor agrário-exportador.

 

2. Durante a República Velha (1889 -1930), desenvolveu-se a chamada “política dos governadores”, cujas características eram:

a) a articulação do coronelismo à política nacional, através da ideologia do favor, assegurando a hegemonia das oligarquias paulistas e mineiras sobre o poder central;

b) a organização constitucional republicana em função do predomínio dos interesses agroexportadores do café, representados por São Paulo;

c) a representação majoritária dos Estados, cujos governadores eram solidários com o poder central, tanto no Senado quanto na direção dos órgãos federais;

d) a participação de todos os governadores estaduais na definição da política externa do país e a garantia da União aos empréstimos externos dos Estados;

e) a distribuição dos recursos federais entre os municípios, segundo a influência dos coronéis, favoráveis aos respectivos governadores estaduais.

 

3. O lema “Ordem e Progresso” inscrito na bandeira do Brasil, associa-se aos:

a) monarquistas. b) abolicionistas. c) positivistas. d) regressistas. e) socialistas.

 

4. No Brasil, na denominada República Velha, as oligarquias se eternizavam no poder graças ao controle

a) das filiações partidárias através do voto secreto.

b) das eleições indiretas para os cargos majoritários.

c) da política dos governadores e da máquina do coronelismo.

d) do poder moderador que privilegiava o poder regional.

e) do voto universal que permitia a participação popular.

 

5. “Cabo de enxada engrossa as mãos – o laço de couro cru, machado e foice também. Caneta e lápis são ferramentas muito delicadas. A lida é outra: labuta pesada, de sol a sol, nos campos e nos currais (…) Ler o quê? Escrever o quê? Mas agora é preciso: a eleição vem aí e o alistamento rende a estima do patrão, a gente vira pessoa.”

(Palmério, Mario. VILA DOS CONFINS)

 

Com base no texto é correto afirmar que, na República velha,

a) o predomínio oligárquico, embora vinculado à manipulação do processo eleitoral, estava longe de estabelecer qualquer compromisso entre “patrão” e empregados.

b) a campanha eleitoral levada a cabo pelos chefes políticos locais visava a atingir, principalmente, os trabalhadores urbanos já alfabetizados e menos embrutecidos pela “labuta pesada”.

c) a transformação operada no trabalhador durante o período eleitoral representava a marca de um sistema político que estendia o poder dos grandes proprietários rurais, dos “campos e currais”, aos Municípios e, daí, à capital do Estado.

d) o predomínio oligárquico, baseado em favores pessoais, buscava, sobretudo, dissolver os focos de tensão social e oposição política, representados nas diversas formas de organização dos trabalhadores rurais naquele momento.

e) o período eleitoral era o único momento em que os chefes locais se voltavam para os seus subordinados, impondo-lhes seus candidatos e dispensando-os dos trabalhos que “engrossavam as mãos”.

 

Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 [E]  

Resposta da questão 2:
 [A]  

Resposta da questão 3:
 [C]  

Resposta da questão 4:
 [C]  

Resposta da questão 5:
 [E]  

Exercícios de unificações italiana e alemã com gabarito

1. O desmonte do muro que dividia a cidade de Berlim e o acordo sobre a reunificação alemã são fatores relevantes para a construção de uma nova Europa. No entanto, a fundação do Estado moderno alemão remonta ao século XIX e se relaciona com a:

a) cooperação abrangente entre a Prússia e a União Soviética.

b) multiplicação das taxas alfandegárias, a revogação da Liga Aduaneira, a aliança franco-prussiana e a ação do Papa.

c) cooperação pacífica, duradoura e estável entre todos os Estados da Europa.

d) conhecida e inevitável neutralidade alemã na disputa de mercados.

e) reorganização do exército prussiano e com o despertar do sentimento nacionalista de união.

 

2. Os movimentos nacionais, na Alemanha e na Itália, na 2a metade do século XIX, além das diferenças políticas têm como objetivo a:

a) unidade política e econômica como requisito para o desenvolvimento capitalista através do fortalecimento do Estado e da integração geográfica dos mercados.

b) independência econômica frente à intervenção econômica inglesa com a manutenção de estruturas de produção medievais.

c) valorização do arianismo como instrumento de recuperação do homem germânico e italiano e criador do “espaço vital”.

d) construção de um estado forte inspirado nos modelos orientais como base política para a recuperação da posição que Itália e Alemanha haviam ocupado no final do século XVIII.

e) manutenção de uma política de proteção territorial contra os interesses franceses resultantes da expansão napoleônica assentados numa perspectiva política conservadora.

 

3. “Fizemos a Itália, agora temos que fazer os italianos”.

“Ao invés da Prússia se fundir na Alemanha, a Alemanha se fundiu na Prússia”.

 

Estas frases, sobre as unificações italiana e alemã:

a) aludem às diferenças que as marcaram, pois, enquanto a alemã foi feita em benefício da Prússia, a italiana, como demostra a escolha de Roma para capital, contemplou todas as regiões.

b) apontam para as suas semelhanças, isto é, para o caráter autoritário e incompleto de ambas, decorrentes do passado fascista, no caso italiano, e nazista, no alemão.

c) chamam a atenção para o caráter unilateral e autoritário das duas unificações, imposta pelo Piemonte, na Itália, e pela Prússia, na Alemanha.

d) escondem suas naturezas contrastantes, pois a alemã foi autoritária e aristocrática e a italiana foi democrática e popular.

e) tratam da unificação da Itália e da Alemanha, mas nada sugerem quanto ao caráter impositivo de processo liderado por Cavour, na Itália, e por Bismarck, na Alemanha.

 

4. A unificação política da Itália, ocorrida na segunda metade do século XIX, foi um processo tardio, considerando o contexto histórico europeu. Sobre esta unificação é CORRETO afirmar que ela:

a) possibilitou a sua participação na corrida colonial, envolvendo-a no domínio do mercado internacional juntamente com a Inglaterra e a França.

b) contribuiu em parte para romper o equilíbrio político-militar que, a partir do Congresso de Viena, foi estabelecido entre as nações europeias.

c) acarretou o desenvolvimento do capitalismo a partir de um intenso surto de industrialização que se estendeu por todo o seu território.

d) permitiu o reatamento das relações político-diplomáticas com o Vaticano e a garantia do direito de liberdade religiosa aos cidadãos.

e) impediu o surgimento de fluxos de emigração de camponeses para o Continente Americano, através da implantação de uma política de fechamento das suas fronteiras.

 

5. Na base do processo das unificações italiana e alemã, que alteraram o quadro político da Europa no século XIX, estavam os movimentos

a) sociais, acentuadamente comunistas.

b) liberais, acentuadamente nacionalistas.

c) iluministas, acentuadamente burgueses.

d) reformistas, acentuadamente religiosos.

e) renascentistas, acentuadamente mercantis.

 

Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 [E]  

Resposta da questão 2:
 [A]  

Resposta da questão 3:
 [C]  

Resposta da questão 4:
 [B]  

Resposta da questão 5:
 [B]  

Exercícios descolonização afro asiática com gabarito

1. A Inglaterra, detentora do mais rico e poderoso império marítimo, chegou ao auge de sua supremacia no Século XIX. A decadência do Império Britânico e o processo de descolonização nas colônias oriundas de povoamento inglês, relacionam-se com

a) a educação política veiculada pelos dominadores, procurando desenvolver a consciência antiimperialista dos dominados.

b) a transformação de alguns domínios em comunidades autônomas e iguais, não subordinadas umas às outras, embora unidas por uma fidelidade comum à Coroa Britânica e livremente associadas.

c) o controle administrativo direto das terras árabes, segundo fundamentos filantrópicos e zelo missionário.

d) o prolongado governo pela força e sem nenhum grau de autonomia dos domínios do Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

e) a transferência de tecnologia para os domínios da África e da Ásia, a fim de assegurar imediata independência econômica.

 

2. “Nós proclamamos o direito, para todos os povos colonizados, de assumirem seu próprio destino …. A longa noite está morta.”

(Declaração do V Congresso Pan-Africano, 1945)

 

Assinale a opção que apresenta uma afirmativa correta sobre o processo de Descolonização Afro-Asiática.

a) A conferência de Bandung (1955) reafirmou os valores e a política imperialista das nações ocidentais.

b) Os nacionalismos afro-asiáticos, extintos após a Segunda Guerra Mundial, não conseguiram consolidar o ideal de independência.

c) A Carta da ONU, consagrando o direito de autodeterminação dos povos, favoreceu o reconhecimento da soberania nacional das nações emergentes.

d) A descolonização foi prejudicada pela bipolarização mundial entre EUA e URSS, que apoiavam política e militarmente os Impérios Coloniais.

e) A libertação e a autonomia nacional dos países afro-asiáticos consolidaram sua independência econômica frente às nações ocidentais.

 

3. “Morre um homem por minuto em Ruanda. Um homem morre por minuto numa nação do continente onde o Homo Sapiens surgiu há um milhão de anos… Para o ano 2000 só faltam seis, mas a Humanidade não ingressará no terceiro milênio, enquanto a África for o túmulo da paz.”

(Augusto Nunes, in: jornal O GLOBO, 6.8.94)

 

A situação de instabilidade no continente africano é o resultado de diversos fatores históricos, dentre os quais destacamos o(a):

a) fortalecimento político dos antigos impérios coloniais na região, apoiado pela Conferência de Bandung.

b) declínio dos nacionalismos africanos causado pelo final da Guerra Fria.

c) acirramento das guerras intertribais no processo de descolonização que não respeitou as características culturais do continente.

d) fim da dependência econômica ocorrida com as independências políticas dos países africanos, após a década de 50.

e) difusão da industrialização no continente africano, que provocou suas grandes desigualdades sociais.

 

4. Em 24 de outubro próximo passado, chefes de Estados, reunidos em Nova Iorque, comemoraram 50o aniversário da Organização das Nações Unidas – ONU. O que representa esta organização?

a) A organização dos países do Ocidente para o enfrentamento com os países do Oriente.

b) A vitória da Liga das Nações, vigente durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais.

c) O fim da guerra fria entre o mundo capitalista e o mundo comunista.

d) A descolonização da América e da África e os respectivos engajamentos políticos dos dois continentes.

e) Uma força internacional acima das nações, na defesa da paz mundial, dos direitos do homem e da igualdade dos povos.

 

5. A África subsaariana conheceu, ao longo dos últimos quarenta anos, trinta e três conflitos armados que fizeram no total mais de sete milhões de mortos. Muitos desses conflitos foram provocados por motivos étnico-regionais, como os massacres ocorridos em Ruanda e no Burundi.

(Le Monde Diplomatique, maio/1993 – com adaptações.)

Das alternativas abaixo, aquela que identifica uma das raízes históricas desses conflitos no continente africano é:

a) a chegada dos portugueses, que, em busca de homens para escravização, extinguiram inúmeros reinos existentes

b) a Guerra Fria, que, ao provocar disputas entre EUA e URSS, transformou a África num palco de guerras localizadas

c) o Imperialismo, que, ao agrupar as diferentes nacionalidades segundo tradições e costumes, anulou direitos de conquista

d) o processo de descolonização, que, mantendo as mesmas fronteiras do colonialismo europeu, desrespeitou as diferentes etnias e nacionalidades

 

Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 [B]  

Resposta da questão 2:
 [C]  

Resposta da questão 3:
 [C]  

Resposta da questão 4:
 [E]  

Resposta da questão 5:
 [D]  

Exercícios Unificação Alemã com gabarito.

1. O desmonte do muro que dividia a cidade de Berlim e o acordo sobre a reunificação alemã são fatores relevantes para a construção de uma nova Europa. No entanto, a fundação do Estado moderno alemão remonta ao século XIX e se relaciona com a:

a) cooperação abrangente entre a Prússia e a União Soviética.

b) multiplicação das taxas alfandegárias, a revogação da Liga Aduaneira, a aliança franco-prussiana e a ação do Papa.

c) cooperação pacífica, duradoura e estável entre todos os Estados da Europa.

d) conhecida e inevitável neutralidade alemã na disputa de mercados.

e) reorganização do exército prussiano e com o despertar do sentimento nacionalista de união.

 

2. Os movimentos nacionais, na Alemanha e na Itália, na 2a metade do século XIX, além das diferenças políticas têm como objetivo a:

a) unidade política e econômica como requisito para o desenvolvimento capitalista através do fortalecimento do Estado e da integração geográfica dos mercados.

b) independência econômica frente à intervenção econômica inglesa com a manutenção de estruturas de produção medievais.

c) valorização do arianismo como instrumento de recuperação do homem germânico e italiano e criador do “espaço vital”.

d) construção de um estado forte inspirado nos modelos orientais como base política para a recuperação da posição que Itália e Alemanha haviam ocupado no final do século XVIII.

e) manutenção de uma política de proteção territorial contra os interesses franceses resultantes da expansão napoleônica assentados numa perspectiva política conservadora.

 

3. As unificações alemã e italiana, em 1860/1871, aconteceram, segundo os historiadores, a partir da chamada “via prussiana”. Isto significa que:

a) Foram realizadas de cima para baixo, isto é, a partir de uma aliança entre a burguesia e a aristocracia.

b) As mudanças ocorridas naqueles países correspondiam às expectativas plenas dos trabalhadores.

c) As mudanças foram feitas de baixo para cima, isto é, a partir de uma aliança entre setores populares e setores intelectuais da classe média.

d) As transformações políticas na Itália e na Alemanha se verificaram a partir de intervenções de potências estrangeiras, especialmente da Prússia.

 

4. Na base do processo das unificações italiana e alemã, que alteraram o quadro político da Europa no século XIX, estavam os movimentos

a) sociais, acentuadamente comunistas.

b) liberais, acentuadamente nacionalistas.

c) iluministas, acentuadamente burgueses.

d) reformistas, acentuadamente religiosos.

e) renascentistas, acentuadamente mercantis.

 

5. A unificação política da Alemanha (1870-1871) teve como consequências:

a) a ruptura do equilíbrio europeu, o revanchismo francês, a revolução industrial alemã e política de alianças.

b) enfraquecimento da Alemanha e miséria de grande parte dos habitantes do sul, responsável pela onda migratória do final do século XIX.

c) a anexação da Alsácia e Lorena, o empobrecimento do Zollverein e retração do capitalismo.

d) corrida colonial, revanchismo francês, o enfraquecimento do Reich e anexação da Áustria.

e) o equilíbrio europeu, a aliança com a França, a formação da união aduaneira e a Liga dos Três Imperadores.

 

6. À época de Bismarck (1871 -1890) associam-se alguns elementos que vieram a reforçar o capitalismo industrial e financeiro na Alemanha recém-unificada. Assinale a opção que contém referências vinculadas ao momento político mencionado.

a) Vitória dos cristãos-sociais mais moderados ao impor reformas do sistema de trabalho na década de 1880, greve dos mineiros do Ruhr, emigração maciça para o continente americano, imposição do livre comércio de importação e exportação em 1879.

b) “Zollverein” ou união aduaneira alemã, abolição do regime político federal no Império Alemão, diminuição da influência dos Junkers prussianos, dissolução da Aliança do Centeio e do Aço.

c) Unificação monetária alemã e fundação do “Reichsbank”, extensão das ferrovias, desaparecimento de numerosas pequenas empresas após a crise financeira de 1873, imposição do protecionismo alfandegário em 1879.

d) Financiamento de seguros sociais pelo “Reichsbank” para aliviar tensões, condução a um período de paz social através da unidade alemã, privatização das ferrovias, entrada da Alemanha na corrida colonial ao anexar a Etiópia.

e) Sacrifício da agricultura à industria, reforço da posição dos industriais determinado pelo “novo curso” ligado ao chanceler Caprivi, formação, no “Reichstag”, da maioria chamada “do Cartel”, favorável ao grande capitalismo e a medidas anti-sindicais em 1879.

 

Gabarito:  

 

Resposta da questão 1:
 [E]  

Resposta da questão 2:
 [A]  

Resposta da questão 3:
 [A]  

Resposta da questão 4:
 [B]  

Resposta da questão 5:
 [A]  

Resposta da questão 6:
 [C]  

Exercício de Fixação Guerra Fria (gabarito)

1. A URSS transformou-se, após 1945, numa das potências mundiais, tanto no campo econômico como técnico. Um dos melhores exemplos dessa transformação é o:

a) desenvolvimento da política espacial, representada pela 1a viagem em torno da Terra por Gagarin.

b) desenvolvimento da indústria cinematográfica e das teorias em torno da fusão nuclear.

c) desenvolvimento da indústria automobilística e o incremento do sistema industrial privado.

d) crescimento do mercado interno, com o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo agrícola e aumento de salários.

e) crescimento da produção agrícola em função do fim da intervenção do Estado no setor e de técnicas administrativas americanas.

 

2. Os recentes acordos para a diminuição das armas estratégicas de longo alcance afastam as campanhas histéricas e o perigo de um confronto bélico catastrófico. Quando se analisam as origens da denominada Guerra Fria, percebe-se que ela se relacionou inicialmente com:

a) a política do desarmamento nuclear e o enfrentamento militar direto entre as duas superpotências.

b) a instalação de rampas de lançamento e a retirada dos mísseis soviéticos de Cuba.

c) o fim da Guerra do Vietnã e o apoio norte-americano aos “contras” da Nicarágua sandinista.

d) a ascensão de Mikhail Gorbatchev na URSS e sua política de Glasnost.

e) o envolvimento dos governos inglês e norte-americano na elaboração de um discurso responsabilizando o comunismo como terrível ameaça ao mundo livre.

 

3. “É lógico que os EUA devem fazer o que lhes for possível para ajudar a promover o retorno ao poder econômico normal no mundo, sem o que não pode haver estabilidade política nem garantia de paz.”

(Plano Marshall 5. VI. 1947)

 

Esse plano

a) assegurava a penetração de capitais norte-americanos no continente europeu, sobretudo em sua parte oriental.

b) garantia, aos norte-americanos, o retorno a uma política isolacionista, voltada unicamente para os seus interesses internos.

c) pretendia deter as ameaças soviéticas sobre os países do Oriente Médio, cuja produção de petróleo era vital para as economias ocidentais.

d) era um instrumento decisivo na luta contra o avanço do comunismo na Europa arrasada pelo pós-guerra.

e) representava uma tomada da tradicional política da “boa vizinhança” dos EUA em relação à América Latina.

 

4. Marque a opção que apresenta um acontecimento relacionado com as origens da Guerra Fria:

a) Construção do Muro de Berlim (1961).

b) Intervenção militar norte-americana no Conflito do Vietnã (1962).

c) Criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte, OTAN (1949).

d) Eclosão da crise dos mísseis em Cuba (1962).

e) Invasão da Baía dos Porcos (1961).

 

5. “…inspirado por razões humanitárias e pela vontade de defender uma certa concepção de vida ameaçada pelo comunismo, constitui também o meio mais eficaz de alargar e consolidar a influência norte-americana no mundo, um dos maiores instrumentos de sua expansão (…) tem por consequência imediata consolidar os dois blocos e aprofundar o abismo que separava o mundo comunista e o Ocidente…”

 

“…as partes estão de acordo em que um ataque armado contra uma ou mais delas na Europa ou na América do Norte deve ser considerado uma agressão contra todas; e, consequentemente, concordam que, se tal agressão ocorrer, cada uma delas (…) auxiliará a parte ou as partes assim agredidas (…)”

 

Os textos identificam, respectivamente,

a) a Doutrina Monroe e a Organização da Nações Unidas (ONU).

b) o Plano Marshall e a organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

c) o Pacto de Varsóvia e a Comunidade Econômica Europeia (CEE).

d) o Pacto do Rio de Janeiro e o Conselho de Assistência Econômica Mútua (COMECON).

e) a Conferência do Cairo e a Organização dos Estados Americanos (OEA).

 

Gabarito:  

 

Resposta da questão 1:
 [A]  

Resposta da questão 2:
 [E]  

Resposta da questão 3:
 [D]  

Resposta da questão 4:
 [C]  

Resposta da questão 5:
 [B]